«O BOM LIVRO É AQUELE QUE SE ABRE COM INTERESSE E SE FECHA COM PROVEITO»

AMOS ALCOTT

Primeiras Aquisições do Ano!..

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

| | | 0 Páginas
Aqui ficam as primeiras aquisições do ano:















- A Um Deus Desconhecido, de John Steinbeck
- O Relatório Chapman, de Irving Wallace

Estavam com uns preços atractivos na feira do livro do Oriente ^^

Já li um livro de cada autor, estes serão os segundos... Espero gostar tanto como os primeiros (A Pérola e O Milagre) =D

Boas leituras***

A Travessia da Noite

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

| | | 0 Páginas
Como esta mulher sobreviveu ao terror de um campo de concentração
«(...) o 24 de Dezembro aproxima-se. Para me preparar para a data, desenhei com o meu lápis uma espécie de imagem. É o meu presépio. O menino jesus encosta-se a uma cruz, tem o dedo erguido para abençoar. Uma mulher deportada com o seu vestido de riscas e o seu lenço apoia-se nele. Sob o triângulo marcado com um "F", desenhei o número de matrícula: é o meu, 27372.»

Aqui, Geneviève de Gaulle Anthonioz, conta-nos na primeira pessoa momentos da sua vida, onde, nos é aberta uma janela para os campos de concentração e para a fragilidade e vulnerabilidade humana, assim como para a brutalidade e animalidade do Homem.

Relatos sobre os campos de concentração são algo que mexe particularmente comigo, porque não deixo de pensar "Como é que é possivel que isto tenha acontecido?, Como é que pudemos fazer isto uns aos outros?".
Portanto, aqui, e em qualquer outro relato de uma vitima é-nos exposto o horror da brutalidade humana em momentos que são realmente tocantes e quase inacreditáveis!

É uma obra muito pequena!... alguns momentos no campo, algumas memórias...
No entanto, é sem duvida um livro de emoções onde por mais breves que sejam os momentos sentimos não só o horror, o medo, o ódio, a dor e a revolta da autora, mas a de milhões de judeus.

A verdade é que quantidade não é qualidade e por isso, apesar de ser um livro muito pequeno, acaba por ser grande a nível de conteúdo, porque afinal há uma grande veracidade nos factos. Ver que alguém viveu aquilo ainda me choca e não deixa nunca de me tocar!

Não é uma obra prima, não! É uma memória nua e crua e por isso, é simplesmente aquilo que é... Alguns episódio da vida de alguém disponíveis ao Mundo...

Depois de Tu Partires

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

| | | 3 Páginas
Sinopse: «Alice Raikes dirige-se à estação de King’s Cross onde irá apanhar o comboio que a levará até à Escócia para visitar a sua família. Horas mais tarde encontra-se em coma no hospital de Londres, após um acidente que se suspeita ter sido uma tentativa de suicídio. A partir daqui, Alice começa a reconstituir o passado que lhe trará respostas para o sucedido»


Normalmente faço um breve resumo da história com menos spoilers possíveis antes de dar a minha opinião. Neste livro, contudo, prefiro não o fazer...


Nunca tinha lido nada de Maggie O'Farrell, nem sequer conhecia a escritora! O livro, contudo, chegou às minhas mãos com a promessa de que iria gostar. Pois bem, a verdade é que não gostei... Adorei!

É, contudo, um livro um tanto ou quanto pesado que levanta algumas questões! E foi, para mim, um daqueles livros íntimos!...
A história é-nos contada através de várias perspectivas e através de vários tempos, saltitando constantemente entre as vozes das personagens e o passado e o presente até que tudo conduz a um grande final onde tudo se entrelaça.
Na minha opinião este não é um grande livro de suspense, pelo menos para mim não o foi! As respostas podem ser encontradas cedo e no entanto não é isso que importa!

A escrita de Maggie O'Farrell é riquíssima em pormenores! É uma escrita poderosa e magnética! É uma escrita de sensações e emoções que nos sequestra nas suas palavras!
E tudo isto origina um livro também ele forte e poderoso sobre amor e relações, sobre dor e sobre perda! Um livro em que a partir de certo ponto o final já não importa. Não é viciante por querermos saber o desfecho, mas sim por toda a capacidade de O'Farrell em nos agarrar a Alice e a toda a história!

Deveria ser fácil falar sobre um livro que nos tocou, que nos foi intimo e que nos disse qualquer coisa não só pela sua leitura, mas também pelo leitor em si. Contudo, para mim pelo menos, não o é! E como tal, falta-me a mestria e as palavras que encontrei em O'Farrell para exprimir aquilo que este livro me disse e por isso, fica apenas a sugestão: Leiam!

Contudo, não é, apesar disso, um livro que recomende facilmente e a qualquer um! Acho que Maggie O'Farrell escreve maravilhosamente e conto ler as suas restantes obras, mas a verdade é que não é um livro fácil! Não só pela sua densidade e complexidade no enredo mas também pela concentração que ele exige, nas suas constantes analepses e trocas de personagens! No entanto, para mim, tudo isso enriqueceu bastante a obra, pois foi realmente importante e interligado inteligentemente até originar Depois de Tu Partires!
Adorei o livro! Adorei as personagens! Adorei a escrita!

Tocante, Perturbador, Viciante e Absorvente!
Puxou por mim e mexeu comigo!, mas já posso dizer que comecei bem o ano!

A Rainha no Palácio das Correntes de Ar

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

| | | 2 Páginas
Antes de mais e um pequeno à parte: As minhas sinceras desculpas por este mau começo de ano com uma ausência de duas semanas, mas a verdade é que este regresso à escola não foi fácil e andei um bocadinho zombie até acertar os sonos =/ E estive este tempo todo para conseguir acabar o ultimo livro do Larsson, o que é um crime! Mas espero daqui para a frente ter uma ritmo mais regular!

Sinopse: «Lisbeth Salander sobreviveu aos ferimentos de que foi vítima, mas não tem razões para sorrir: o seu estado de saúde inspira cuidados e terá de permanecer várias semanas no hospital, completamente impossibilitada de se movimentar e agir. As acusações que recaem sobre ela levaram a polícia a mantê-la incontactável. Lisbeth sente-se sitiada e, como se isto não bastasse, vê-se ainda confrontada com outro problema: o pai, que a odeia e que ela feriu à machadada, encontra-se no mesmo hospital com ferimentos menos graves e intenções mais maquiavélicas… Entretanto, mantêm-se as movimentações secretas de alguns elementos da Säpo, a polícia de segurança sueca. Para se manter incógnita, esta gente que actua na sombra está determinada a eliminar todos os que se atravessam no seu caminho. Mas nem tudo podia ser mau: Lisbeth pode contar com Mikael Blomkvist que, para a ilibar, prepara um artigo sobre a conspiração que visa silenciá-la para sempre. E Mikael Blomkvist também não está sozinho nesta cruzada: Dragan Armanskij, o inspector Bublanski, Anika Gianini, entre outros, unem esforços para que se faça justiça. E Erika Berger? Será que Mikael pode contar com a sua ajuda, agora que também ela está a ser ameaçada? E quem é Rosa Figuerola, a bela mulher que seduz Mikael Blomkvist?»


Bom, o que dizer sobre este ultimo volume da Trilogia Millennium?!
Continuamos a ser brindados com a mestria de Larsson em agarrar o leitor às páginas e tornar os seus livros verdadeiros page-turners!

A verdade é que este último volume foi confortável! Isto é, se no primeiro tive a novidade, o encanto e no segundo tive a obsessão e a rendição, neste ultimo e terceiro volume, se é certo que, sem duvida, Adorei! o que senti mais foi uma sensação de conforto em relação à escrita. Foi mais calmo, já conheço melhor o autor "e o autor a mim" e cria-se ali uma zona em que nos encaixamos no livro.

Neste volume temos Lisbeth Salander presa, na maior parte do tempo no hospital, e todo o trama gira à volta daqueles com que Lisbeth pode contar para a ajudarem e à volta de agentes da Sapo que fazem de tudo para encobrir a sua trapalhada e existência! Desta vez para além dos habituais protagonistas temos mais aprofundada Erika Berger! - quem gostei muito de conhecer melhor!
Sem entrar em grandes spoilers, posso dizer que gostei imenso do livro e que este não me desiludiu. É o livro onde acabamos com as pontas soltas e que todas as respostas aos mistérios colocados neste e no volume anterior são aqui respondidas! Temos por fim, toda a história de Lisbeth e todos os porquês! E se há pouco classifiquei o livro como calmo, não foi no sentido definitivo mas sim comparativo. Pois a verdade é que temos na mesma momentos de tensão, roer de unhas e de cair o queixo... mas é mais calmo sim, se comparando com o anterior!
No entanto, a verdade é que o livro custou a acabar por não ter conseguido ler nestes últimos dias, o que me quebrou um bocadinho o ritmo!...
Todavia, fiquei rendida a Larsson e incrivelmente surpreendida!
Rendida a Larsson e às suas personagens, em especial Lisbeth! Muito cresceu e mudou ou simplesmente a ficámos a conhecer melhor, mas a verdade é que é das minhas personagens favoritas!

Adorei!!!, sinceramente! Conquistou-me e queria mais! Mais Lisbeth, mais Mikael, mais Erika, mais todos! E a verdade é que não sendo para ser uma trilogia acabou por ter um bom final e bastante satisfatório, eu acho!

É uma trilogia mais que recomendada! Simplesmente Brutal - em todos os sentidos da palavra!

E aqui fica uma aberta para tentar novos policiais, eu que não gostava do género!